5 jun 2017 às 4:32 pm

Cantora diz que ela e Dominguinhos nunca tiveram espaço em Barretos

O atual formato do ‘Maior São João do Mundo’ não para de encontrar críticos. Depois do cantor Alcymar Monteiro, agora é a cantora paraibana Elba Ramalho a artista a reclamar.

Durante apresentação em Pernambuco, neste fim de semana, ela demonstrou toda a insatisfação com a contratação de artistas sertanejos para a festa.

Na comparação com o Estado vizinho, ela disse que a situação na Paraíba era ainda mais complicada. “Falei com a Paraíba, reivindiquei porque o São João de lá está muito mais comprometido que o São João daqui. Eu não tenho nada contra nenhum artista, nada contra nenhum sertanejo.

Tem espaço para tudo, no céu cabem todas as estrelas, ninguém atropela ninguém”, ressaltou.

“Eu não toco na Festa de Barretos, Dominguinhos também não cantava. A festa é deles, é dos sertanejos, e eles têm bem esta coisa: essa área é nossa”, disse, fazendo referência ao São João. Ao contrário de Alcymar Monteiro, que foi acusado de “dar chilique” por que não estava na programação, Elba está e no principal dia, o 23 de junho. Mesmo assim, fez coro em defesa de outros artistas. “Aí quando chega aqui no São João, em Campina Grande, não ter o Biliu de Campina, não ter Alcymar Monteiro. Eu reclamei bastante. Cara, não ter os trios. Quando chega o São João, se você não tem forró… Eu não quero ir a uma festa que não tenha forró”, enfatizou.

“Calada, Elba é uma sábia respeitável. Se dependêssemos da boa vontade da longeva cantora, as águas da transposição do Rio São Francisco estariam a milhares de quilômetros do Açude Epitácio Pessoa, principal manancial que abastece Campina Grande e outros 18 municípios da região.

De forma ardorosa, Elba se levantou contra a obra, alegando que isso poderia prejudicar o “Velho Chico”, fazendo coro com artistas dos estados onde o problema da água sequer é uma ameaça. Sempre se soube: transposição e revitalização do rio secular não são mutuamente excludentes.

Graças a Deus, a voz de Elba não foi decisiva para essa questão tão essencial para 12 milhões de nordestinos”, rebateu o gerente de Comunicação da Prefeitura, Marcos Alfredo.

Fonte: Perfil do caderno Viver, do Diario de Pernambuco

 

O que achou disso?