21 out 2019 às 7:11 am

Maia, Toffoli e Alcolumbre mandam fazer rota de fuga do público

(Foto: Reprodução)

Durante os momentos mais turbulentos da Operação Lava Jato, ministros do STF pediram à segurança da Corte uma solução para o que consideravam um problema: o assédio da imprensa, que abordava os magistrados nos corredores da instituição, enquanto eles caminhavam por um túnel que liga o prédio anexo – onde estão os gabinetes – ao edifício-sede, que abriga o plenário.

A gestão do presidente Dias Toffoli pretende garantir a privacidade com uma “passagem reservada”, que dará acesso exclusivo para os ministros e outras autoridades chegarem e saírem do Supremo sem serem vistos. No Congresso e no Executivo, também existem “caminhos alternativos”, na terra e até mesmo na água, sempre com o mesmo objetivo – tentar criar passagens secretas para que autoridades mantenham uma “agenda paralela” de audiências e compromissos. Na prática, essas passagens reservadas abrem brechas para que audiências ocorram sem que sejam informadas à população. Vizinhos, os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, abriram de maneira discreta uma passagem privada entre as residências oficiais dos presidentes da Câmara e do Senado, localizadas no Lago Sul, área nobre da capital.

Informação de Rafael Moraes Moura, Renato Onofre e Tânia Monteiro no Estado de S.Paulo.

Fonte: Diário do Centro do Mundo
Publicado em 20 outubro, 2019 10:19 am

O que achou disso?