26 jul 2017 às 12:30 pm

Obsessão por homem-gol faz Chelsea de Abramovich gastar mais de R$ 1 bilhão

Desde que assumiu o Chelsea em 2003, Roman Abramovich bem que diversificou seus investimentos para reforçar o time. Abriu os cofres para contratar gente como Robben, Cech, Deco, Ballack, David Luiz, Courtois, Fábregas, Hazard… Mas nada se compara a obsessão do magnata russo por centroavantes. Foram 19 contratados ao longo de 14 anos e, com a recente chegada de Morata por 70 milhões de libras, o montante investido em nomes para o setor passou de R$ 1 bilhão. Ao todo, o gasto na busca por um camisa 9 foi de 335,2 milhões de libras (ou R$ 1,220 bilhão).

Entre os atacantes contratados na Era Abramovich, teve opção para todos os gostos. Drogba custou 24 milhões de libras (R$ 87 milhões na cotação atual) e balançou as redes como ninguém: foram 164 em 389. Ninguém chega perto desses números. Já o custo benefício de Kalou não se compara a nenhum outro.

Com 9 milhões de libras (R$ 32,75 milhões), ele é o segundo maior artilheiro dessa leva de centroavantes de Abramovich, com 60 gols. Ele, porém, tem mais que o dobro de jogos que Diego Costa, com um gol a menos. Só que, apesar de ter contrato em vigor com os Blues, o brasileiro naturalizado espanhol não deve mais vestir a camisa azul.

Há também aqueles que custaram uma fortuna e pouco apresentaram em campo. Fernando Torres que o diga. O Chelsea gastou 50 milhões de libras (R$ 182 milhões) para tirá-lo do Liverpool, mas o retorno esportivo foi bem abaixo do esperado. O espanhol balançou as redes apenas 45 vezes em 182 jogos, e teve uma média inferior a outros reforços que também desapontaram, como Shevchenko e Crespo. Ambos chegaram com status de craques dos gigantes de Milão e deixaram o clube sem deixar muitas saudades.

E Lukaku? O belga custou 12 milhões de libras (R$ 43,7 milhões) para deixar o Anderlecht em 2011 e, nos 15 jogos que fez pelo Chelsea, não marcou um gol sequer. É o único dos 19 centroavantes da Era Abramovich que não conseguiu balançar as redes. Depois, foi liberado por Mourinho, estourou com a camisa do Everton e agora, apesar do desejo do Chelsea de repatriá-lo, se mudou para o Manchester United por uma fortuna: 75 milhões (R$ 310 milhões).

Tem ainda o grupo dos que pouco custaram em termos de transferência e tampouco ofereceram retorno em gols. Pato e Falcao chegaram por empréstimo no mesmo período e marcaram um gol, cada. A diferença foi que o colombiano fez 12 jogos e o brasileiro dois. Pizarro chegou sem custos do Bayern de Munique em 2007 e marcou duas vezes em 32 jogos. Já Eto’o custou 2 milhões de libras (R$ 47,3 milhões) em 2013 e, ao menos, marcou 12 vezes. Agora é saber em qual grupo Morata vai se enquadrar.

Fonte:Globoesporte.com

O que achou disso?