22 maio 2016 às 1:13 pm

Paraíba bate meta de vacinação contra gripe, diz Secretaria de Saúde

noticia_h1n1-influenza-061215A Paraíba vacinou 80,17% do público prioritário da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe 2016, atingindo a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, foram aplicadas 684.026 doses até o prazo final da campanha, na sexta-feira (20). De acordo com a assessora técnica do Núcleo de Imunizações da SES, Márcia Mayara, 155 municípios atingiram a meta.

Apesar disso, três grupos prioritários não atingiram a meta de 80% de cobertura: crianças de seis meses a menores de cinco anos (75,01%), idosos (78,32%) e a População Indígena (58,97%). Os demais grupos ultrapassaram a meta estipulada pelo Ministério da Saúde: Trabalhadores de Saúde (118,73%), gestantes (82,40%) e puérperas até 45 dias após o parto (85,08%).

“A campanha de vacinação contra a influenza, no estado, se encerra nesta sexta-feira, porém continuamos orientando os municípios que ainda não atingiram a meta que continuem fazendo a busca ativa para que se consiga uma homogeneidade”, diz Márcia Mayara.

A vacina contra a gripe é trivalente, ou seja, previne contra as complicações referentes a três tipos do vírus: H1N1, H3N2 e B. A campanha teve por objetivo diminuir os riscos das complicações de doenças respiratórias, reduzindo a mortalidade por diferentes tipos de gripes. “A vacinação contra influenza mostra-se como uma das medidas mais efetivas para a prevenção da influenza grave e de suas complicações nos grupos prioritários”, acrescentou Márcia.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

O que achou disso?