12 jun 2017 às 10:30 am

Polícia prende padre acusado de abusar de cinco meninos

Crianças disseram ter sido vítimas de abuso

Segundo a polícia, pelo menos cinco crianças confirmaram ter sido vítimas de abusos, alguns desde 2015. O delegado acredita que possa haver um número maior de potenciais vítimas, uma vez que nesses casos, muitos têm medo de se expor e, por se tratar de um “líder religioso, que goza de posição privilegiada na comunidade, muitas pessoas preferem se calar ao invés de trazer à luz fatos obscuros que envolvam uma liderança como essa”.

As crianças, que têm entre 12 e 13 anos, foram ouvidas por um psicólogo policial e relataram o que se passava dentro da casa paroquial enquanto estavam na companhia do sacerdote.

— Primeiro, o suspeito afastou as meninas dos meninos nos grupos religiosos da igreja e, posteriormente, convidava esses garotos para dormir na casa paroquial, onde ocorriam os atos libidinosos. Pelos relatos é possível constatar que isso ocorria há pelo menos dois anos — conta o delegado.

O homem foi levado para a Unidade Prisional Avançada de São Francisco do Sul, onde permanece preso temporariamente. Ele foi ordenado padre há cinco anos e não disse nada à polícia desde a prisão, “só responde em juízo”, explicou o delegado responsável pelo caso.

A Polícia Civil continua coletando elementos para embasar a denúncia e deve encaminhar um pedido de conversão da prisão temporária para preventiva na próxima semana. Ainda não há data para a conclusão do inquérito policial, mas nos casos que envolvem crimes hediondos o prazo é de até 30 dias.

Padre está afastado das funções sacerdotais

Segundo o padre Ivanor Macieski, assessor de Comunicação na Mitra Diocesana de Joinville, que coordena as paróquias da região, o padre foi afastado no momento em que a igreja soube da denúncia.

— A família fez um boletim de ocorrência no fim de maio. No dia seguinte, tomamos a providência de desligá-lo de suas funções, para que ele possa responder às denúncias. A orientação do Papa Francisco é que não se fique esperando — explica.

A Notícia

Fonte: COFEMAC

O que achou disso?